Mesquita luta contra o abuso ou exploração sexual de crianças e adolescentes

O governo de Mesquita promoveu uma panfletagem de alerta sobre o abuso e a exploração sexual de menores nesta última sexta-feira, 17 de maio. A ação fez parte da campanha “Faça Bonito” no município, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado em 18 de maio. A iniciativa foi realizada no início do viaduto Dicró, na Avenida Presidente Costa e Silva, no Centro da cidade. Mesmo sob chuva forte, a movimentação contou com participação de mais de 50 profissionais.

Os trabalhos começaram às 9h30 e se estenderam até o fim da manhã. Profissionais das secretarias municipais de Assistência Social, Educação, Saúde, Obras, Serviços Públicos, Defesa Civil, Transportes e Trânsito e Segurança e Ordem Pública estiverem presentes, auxiliando na panfletagem e mantendo a organização e a segurança da ação. Apitos chamaram a atenção dos motoristas para o problema e pirulitos com informações sobre o assunto foram distribuídos.

Mesmo os motoristas que passavam direto, porque o sinal estava verde, apoiaram nosso trabalho. Muitos nos saudaram com suas buzinas ou gritando alguma frase motivadora para a equipe. Ficamos muito satisfeitos com a receptividade das pessoas, que se mostraram interessadas em se informarem. Se todos souberem como denunciar esses casos e se conscientizarem da importância dessas denúncias, certamente conseguiremos proteger cada vez mais menores dessa exploração e desse abuso”, analisou Erika Rangel, subsecretária de Assistência Social de Mesquita.

Os pedestres também apoiaram a panfletagem. Pai de duas filhas – uma com 11 e outra com 7 anos –, Everton, de 31 anos, foi um dos que fez questão de pegar os folhetos e os pirulitos para as meninas. “Eu mesmo tenho duas crianças em casa. Essa conscientização é muito importante, ainda mais em uma via pública como esta. Se cada cidadão fizer sua parte, as coisas vão melhorar bastante”, disse.

Muitos casos de abuso e exploração de crianças e adolescentes acontecem na própria casa desses menores, envolvendo familiares, vizinhos ou amigos. “O estado do Rio de Janeiro registra, por dia, dez denúncias de abuso sexual de crianças de até 11 anos de idade. Isso fora os que não têm registros, por falta de denúncia. Infelizmente, a maior parte deles acontece no própria lar da vítima, destruindo completamente a formação dessas crianças e o núcleo familiar”, alertou Monique Rosa de Castro Lima, subsecretária de Educação de Mesquita. É importante frisar que souber de algum caso de abuso ou exploração sexual de menores deve informar o Conselho Tutelar, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) ou ligar para o número 100 e fazer a denúncia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito
%d blogueiros gostam disto: