Mano Menezes sugere que estilo de Neymar fez Gabriel Jesus e outros centroavantes sofrerem na Seleção

Uma pergunta durante a Segunda Campeã, quadro do programa “Bem, Amigos” sobre Gabriel Jesus acabou tornando a performance do centroavante brasileiro na Copa do Mundo como tema central do primeiro bloco. E Mano Menezes, avisando que lançaria uma teoria polêmica, sugeriu que o camisa 9 não teve melhor participação no Mundial devido ao estilo de jogo de Neymar.

– Eu tenho uma teoria que vai gerar certa polêmica. O problema não está no Gabriel Jesus, que, para mim, a chegada dele foi o último grande surgimento de um grande jogador por aqui. Não tínhamos um jogador que preenchesse tanto quanto após a chegada dele. Acho que tem a ver com nosso protagonista maior, que é o Neymar. Ele centraliza muito as nossas ações ofensivas. Não tem como a bola não parar nele, a bola sempre vai parar mais nele. Nemar não prepara jogada para centroavante, o Neymar decide, faz jogada para ele. Aí o centroavante sofre – argumentou Mano, completando:

– Futebol não tem certo ou errado, o futebol tem o “como é”. Quando a gente esteva na Seleção, tiramos centroavante por isso. Tentamos encontrar outra maneira de jogar para resolver essa questão. Centroavante não é jogador de se sacrificar pelo ponta, é um definidor. A bola tem que chegar nele.

Muricy Ramalho fez um contraponto e lembrou que centroavantes já tiveram sucesso ao lado de Neymar, tanto no Santos que dirigiu em 2011, quanto no clube atual do astro.

– Mas no Santos o centroavante que jogava com ele fazia gol. No PSG, o Cavani fazia gols. Então não é bem assim, talvez seja assim na Seleção.

Mano voltou a falar sobre Neymar e tratou de frisar algo: apesar da opinião relativa à influência do camisa 10 no futebol de Jesus, não considera o principal jogador brasileiro como um “problema”. Mas lembrou que Fred também não marcou gols na Copa de 2014 quando tinha o craque ao lado.

– É preciso deixar claro porque geralmente as pessoas no Brasil levam as coisas para o lado errado: o problema da Seleção não é o Neymar, o Neymar é a solução de muitos dos nossos problemas. Estamos discutindo uma maneira de entendimento para isso funcionar, porque ele não é o primeiro. O Fred foi muito crucificado na Copa do Brasil. Se tem uma coisa que o Fred sabe é fazer gol. Ele sempre fez muitos gols.

Muricy Ramalho lembrou que o desempenho nas eliminatórias da Copa do Mundo o panorama foi diferente:- Nas eliminatórias deram certo. Uma coisa que parece para mim é que o Tite estava incomodado por não ter o Renato Augusto. Ele gostava de jogar com Renato, Coutinho, Gabriel e Neymar – disse Muricy, que teve sua explicação aprovada por Mano.

André Rizek, outro convidado do programa, opinou que Gabriel caiu de produção após sofrer lesão no joelho esquerdo no início de 2018.

– O Renato chegou diferente por lesões, e o Gabriel também. Quando o Gabriel chegou no City, barrou o Aguero. Depois da lesão, ele não voltou tão bem, o Aguero passou a jogar mais, e o Gabriel passou a jogar mais pelo lado. Acho que isso pode ter influenciado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *