Magé recebe plataforma MERCOSUL Social e Solidária

Na última quinta-feira (29), organizações sociais que compõe a Plataforma Mercosul Social e Solidaria (PMSS), da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai promoveram uma integração cultural no Sítio Santa Bárbara, no distrito agrícola, para conhecer a experiência da Juliana Medeiros, conhecida como ‘Dona Juju’, agricultora de referência da agroecologia no Brasil.

A Presidente do Cedac e Coordenadora da Plataforma Mercosul no Brasil, Rosa Maria Cordeiro relatou o objetivo do evento. “As organizações conheceram as atividades do sítio que vem se tornando um interessante espaço para Turismo de Base Comunitária na região”, contou.

A chilena, Lirayén Reyes relatou sobre a oficina de criadouro de peixes que participou e a importância da agricultura para a sociedade. “Nós fizemos uma piscina de peixes, que vamos cultivar para consumo e para vender também. É algo muito necessário para a vida alimentar, poder cultivar nossas frutas, verduras, peixes e outros nutrientes. Usamos barro e garrafas recicláveis para construir o criadouro de peixes. No Chile, não tem árvores frutíferas, somente eucalipto e pinheiros, agora observo que precisamos cultivar os alimentos e irei levar todos esses conhecimentos para casa”, disse.  

O intercâmbio cultural contou com a realização de oficinas ministradas por mulheres do sítio, sobre aproveitamento integral de alimentos, compostagem, plantio de mudas, produção de tijolos ecológicos, construção de um criadouro de peixes com materiais recicláveis e oficina de produção de sabão.

“A plataforma Mercosul Social e Solidária  reúne 16 ONGs na América Latina, nos países que compõe o bloco econômico. Todos os anos, realizamos um evento que é um intercâmbio, e esse ano estamos fazendo uma programação no Rio. E na programação de hoje, estamos no sítio da Juliana que é uma agricultora de Magé. E como trabalhamos com o tema da agricultura familiar e da segurança alimentar, quisemos trazer as pessoas para cá, para conhecer a propriedade dela, o trabalho dela. A Juliana tem uma cozinha comunitária que gera renda para mulheres aqui de Magé, e hoje oferecemos diversas oficinas”, explicou o representante da Plataforma Mercosul, Matheus Ribeiro.  

As organizações também exploraram a ‘Cozinha Colher de Pau’, que oferece deliciosos pratos da culinária local e torna o município conhecido em diferentes espaços, especialmente quando se trata de comida agroecológica.

A agricultora, Juliana contou sobre sua cozinha que a tornou referência em agroecologia. “Na ‘Cozinha Colher de Pau’, nós fazemos 50 espécies de produtos. Desde doces, farinhas, compotas, geleias, banana passa, bananada, chás e temos também almoços comunitários. E nós aproveitamos tudo dos produtos, como por exemplo, a banana, nós usamos a casca, a fruta, a folha, o palmito. A laranja, nós aproveitamos tudo, desde a casca até a palha. A mesma coisa com a jaca, nós reaproveitamos tudo desde a fruta, caroço e mangará”, afirmou Dona Juju.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito