Magé participa do Seminário Baixada Verde

Com o intuito de debater políticas públicas, incentivar, detectar as principais demandas e despertar o interesse da população pelo turismo, aconteceu nesta última quarta-feira (27), no Teatro Metodista em Queimados, o Seminário Baixada Verde (BV). Magé, por sua vez, teve o privilégio de estar entre os membros da comissão, sendo representada por Wagner Rosa, que além de ser o secretário de Turismo, Esporte e Terceira Idade do município, preside o Conselho Regional do BV.

Embora Queimados tenha sido a anfitriã, a iniciativa trata-se de uma aliança composta por outras nove cidades da Baixada Fluminense: Magé, Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, São João de Meriti e Seropédica, que enviaram seus respectivos representantes.

“O Baixada verde foi criado através de um trabalho contínuo dos secretários de Turismo dos municípios participantes. Esse projeto vem com uma força expressiva, e hoje o dia em Queimados será muito produtivo, pois os professores doutores estão palestrando em mesa de debate sobre o turismo na região”, esclareceu Wagner Rosa.

O presidente do Conselho Regional disse, ainda, que os secretários estão aprendendo a fazer um planejamento voltado para o cenário turístico, a fim de proporcionar um melhor entendimento para a população, mostrando a importância que o turismo tem.

“Muitas pessoas acreditam que turismo é só praia, Cristo Redentor e Maracanã. Estamos provando que a Baixada Fluminense também tem potencial turístico. Atualmente, dos dez municípios que compõem o BV, Magé é um dos que mais tem essa capacidade, seguido de Japeri”, frisou Marcelo Lessa, secretário de Turismo de Queimados e do BV.

Na opinião de Tânia Omena, turismóloga da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO) e presidente da Associação Brasileira de Turismólogos Profissionais do Estado do Rio, o trabalho de uma região deve refletir em si mesmo. “O que eu trago hoje para este Seminário, é a questão da ativação do turismo como uma atividade múltipla e que tem possibilidade de ação sobre o mercado, trabalhando segmentos e formas de movimentar os fluxos de uso da sua localidade, deixando de pensar que turista não é só aquele que vem de outro local, mas também a própria população”, disse.

A professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Teresa Catrambi, que está envolvida no projeto desde 2007, explicou como funciona a pesquisa de opinião pública que ajudou na construção da região turística em todas as cidades participantes.

“Aplicamos essa pesquisa nos dez municípios através de um questionário, porém o que os difere são os atrativos naturais, culturais e de lazer de cada um. Essa pesquisa tem a função de buscar saber do morador o que ele considera sobre o desenvolvimento do turismo na sua cidade, se ele conhece ou sabe que tem um conselho municipal e que está tendo essa proposta, assim como as questões de lazer que são muito importantes para a Baixada. Então nós perguntamos o que ele faz nos momentos de lazer, quais os locais que ele conhece e visita ou recomendaria visitar no tempo de lazer”, explica a professora.

“É uma felicidade muito grande estar sediando esse Seminário. Nós estamos dando todo o apoio porque compreendemos que o fato da Baixada Fluminense ser um lugar muito discriminado, temos muita coisa boa para mostrar para pessoas de dentro e fora do Estado. Em nome de Queimados, quero agradecer a todos os municípios que estão neste lindo projeto”, finalizou o prefeito de Queimados Carlos de França Vilela.

Também estiveram presentes a chefe do gabinete da Secretaria Estadual de Turismo Rosana Mendes, a professora da UFRRJ  Isabela Fogaça, Hélio Wanderley do INEA, o Major da PM Silveira e o prefeito de Japeri Cesar Melo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito
%d blogueiros gostam disto: