Herdeiro do trono britânico, príncipe Charles comemora 70 anos

O príncipe Charles da Inglaterra, que completa 70 anos na quarta-feira (14), continua aproveitando seu status de herdeiro eterno para defender as causas que lhe importam, como o meio ambiente. Ele pode perder essa liberdade caso tenha acesso ao trono.

O filho mais velho da rainha Elizabeth II, primeiro na linha de sucessão, disse em uma entrevista à BBC que “não é a mesma coisa ser príncipe de Gales e ser soberano”. “E a ideia de que poderei continuar agindo da mesma forma, se eu tiver de suceder [a rainha], é completamente absurda, porque as duas instituições são completamente diferentes. Não sou tão estúpido.”

Além do meio ambiente, arquitetura e agricultura – seus assuntos preferidos –, Charles gerou polêmica algumas vezes ao adentrar no terreno político, ao contrário de sua mãe, no trono desde 1952.

Assim, há quatro anos comparou Vladimir Putin com Adolf Hitler, fazendo com que a Rússia pedisse explicações ao governo britânico. Seu apoio ao Dalai Lama também desagrada as autoridades de Pequim.

Ele se considera um “dissidente”, contrário ao consenso político dominante, afirma Mark Bolland, seu ex-responsável de comunicação.

‘Fazer o que é justo’

Charles Philip Arthur George Windsor nasceu no palácio de Buckingham, em Londres, em 14 de novembro de 1948. Tornou-se herdeiro do trono quando sua mãe foi coroada após a morte do rei George VI.

Mais de 66 anos depois, tem um recorde de longevidade: ninguém na história da monarquia britânica carregou o título de príncipe herdeiro por tanto tempo.

Foi nomeado Príncipe de Gales em 1958, aos nove anos, quando era uma criança tímida e sensível.

Príncipe Charles e princesa Diana na sacada do Palácio de Buckingham, em Londres, após a cerimônia de seu casamento, em 29 de junho de 1981 — Foto: Reuters/Stringer

Já adolescente, foi estudar em Gordonstoun, um duro internato na Escócia. O príncipe Charles odiou este período, que mais tarde qualificou como “inferno absoluto”.

Em 1970, tornou-se o primeiro membro da família real britânica a obter um diploma, da Universidade de Cambridge, onde estudou arqueologia e antropologia.

Entre 1971 e 1976, serviu na Marinha britânica. Para seu desconcerto, quando estava em uma missão no Caribe, sua amiga Camilla Shand se casou com Andrew Parker Bowles.

Com as 7.500 libras (cerca de 40 mil euros hoje) que recebeu quando deixou o Exército, criou “The Prince’s Trust”, uma organização de caridade que em 2016 afirmou ter ajudado mais de 825 mil jovens em dificuldades durante 40 anos.

“Sempre me ensinaram a me preocupar com os demais”, explicou Charles, que dispõe de uma fortuna colossal, procedente principalmente dos rendimentos de sua esposa, a duquesa de Cornualha. “Sempre tentei fazer o que é justo para todos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: