Governador em exercício assina carta de compromisso pela retomada do crescimento da construção civil no Estado do Rio

Durante encontro com empresários da construção civil, no Palácio Guanabara, nesta quarta-feira (07/10), o governador em exercício Cláudio Castro assinou uma carta de compromisso pela retomada do crescimento do setor no Estado do Rio de Janeiro. O objetivo é atuar em parceria com o segmento e identificar as dificuldades existentes, assim como dar celeridade aos trâmites processuais. Atualmente, o mercado busca fôlego com foco na recuperação da cadeia produtiva e no retorno da geração de empregos.

– O desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro passa diretamente pela construção civil. Por isso, acredito também que a retomada da economia fluminense inclui o setor, que é um dos que mais contrata. Portanto, quando não ocorre isto, o movimento de queda acaba sendo em cascata. Existe, ainda, o inverso: quando há a volta dos empregos, ajuda bastante na retomada econômica. É nisso que estamos focados neste momento – disse o governador em exercício.

Na carta, dez itens foram listados como prioridades para o setor. Entre eles, a retomada de obras públicas no âmbito estadual, a análise e o deferimento mais rápido das concessões de licença ambiental, a modernização da legislação, a adoção de materiais menos agressivos ao meio ambiente e a abertura de novos postos de emprego. Castro ressaltou que este movimento de aproximação deverá ser repetido com outros setores importantes da economia fluminense.

– Esta proposta de encontros terá continuidade com as grandes categorias para que possamos entender e saber o que o Estado pode fazer no sentido de obter aumento na capacidade produtiva, desburocratização dos processos e ampliação na oferta de empregos. Estamos em um estágio permanente de diálogo com os segmentos de óleo e gás, comércio e atacadista. Em breve, faremos um encontro semelhante com o setor de turismo, que também teve prejuízo grande este ano – explicou Cláudio Castro.

Setor manteve 85% dos canteiros em funcionamento

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-RJ), durante a pandemia foi possível manter cerca de 85% dos canteiros de obras em funcionamento e os respectivos postos de trabalho. Para Cláudio Hermolin, presidente da entidade, isso ajudou a evitar deterioração maior do quadro social.

– Consideramos nossa atividade de grande impacto social porque temos capacidade de empregar pessoas em várias etapas da produção. Juntos, os mercados de construção civil e imobiliário serão as locomotivas para a retomada da economia do Rio de Janeiro – afirmou o presidente da Ademi-RJ.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), João Fernandes, também destacou a importância do trabalho conjunto e de apoio entre o Governo do Estado e a iniciativa privada.

– Vemos necessidade de alinhamento entre os órgãos governamentais, importante para o setor da construção civil. Temos problemas de origem burocrática em todas as esferas. É preciso ter diálogo construtivo para que não haja tantos entraves e aumento nos custos das obras – concluiu João Fernandes.

Participaram no encontro, além dos representantes dos setores da construção civil e do mercado imobiliário, os secretários de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione; de Planejamento e Gestão, José Luís Zamith; de Fazenda, Guilherme Mercês; de Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo; de Polícia Civil, Allan Turnowski; e de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, Leandro Monteiro; e a presidente do Instituto Estadual do Ambiente, Diane Rangel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito