Dólar oscila de olho no Banco Central e nos EUA

dólar passou a subir após abrir esta terça-fera (12) em queda, de olho na cena externa e a política monetária dos Estados Unidos e diante da atuação do Banco Central brasileiro no mercado cambial. No início dos negócios, a cotação chegou a ficar abaixo dos R$ 3,70.

Às 12h11, a moeda norte-americana caía 0,21%, vendida a R$ 3,7164. Na mínima até agora, chegou a R$ 3,6904 e na máxima, a R$ 3,7288.

“No geral, esses números estão alinhados com as expectativas e, como tal, não devem movimentar muito os mercados hoje ou mudar o debate para os formuladores de políticas antes da reunião do Fed amanhã”, afirmou à Reuters o analista da gestora CIBC Andrew Grantham.

Ele referia-se ao índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos de maio divulgado nesta manhã, com alta de 0,2%, dentro do esperado.

O Fed acompanha uma medida de inflação diferente, que está um pouco abaixo da meta de 2%. A autoridade deverá aumentar a taxa de juros pela segunda vez este ano na quarta-feira (13).

Juros mais elevados nos Estados Unidos tendem a atrair para a maior economia do mundo recursos até então aplicados em outras praças, como o Brasil, o que faz com o que o dólar suba por aqui.

Assim, o dólar registrava leve baixa ante uma cesta de moedas e em queda ante o peso mexicano e chileno O recuo doméstico da moeda norte-americana ante o real tinha influência da ação discricionária do BC, que prometeu na semana passada injetar US$ 20 bilhões de dólares adicionais em novos contratos swaps cambiais até a próxima sexta-feira (15) para dar liquidez ao mercado e ajudar a conter a volatilidade.

“O mercado ainda está cauteloso em função da reunião do Fed e questões internas, mas ele se mantém amortecido com o BC agindo”, afirmou à Reuters o operador de câmbio da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Por enquanto, o BC anunciou apenas o leilão de até 8.800 swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para o vencimento de julho. No entanto, a expectativa é de que a autoridade monetária divulgue a oferta de contratos novos durante a sessão, como foi feito na manhã de segunda, com a venda de 50 mil papéis (US$ 2,5 bilhões).

Na véspera, a moeda norte-americana fechou em alta, após cair mais cedo em meio ao anúncio de uma oferta inesperada de US$ 2,5 bilhões em swaps cambiais pelo BC, como tentativa para controlar o câmbio. A moeda norte-americana subiu 0,45%, a R$ 3,7242 na venda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *