Defesa Civil de Belford Roxo discute Plano de Contingência

A Secretaria Municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo está promovendo a 4ª Semana Municipal de Desastres de Belford Roxo. Nesta quarta-feira (16), o órgão se reuniu com representantes das Secretarias, no auditório do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceambel), para o planejamento das ações preventivas do Plano de Contingência. O encontro serviu também para a apresentação de procedimentos e ações conjuntas em caso de desastres de origem hídrica (alagamentos e deslizamentos), biológicos (epidemia, infestação de insetos), e geofísicos (desabamentos), além da atualização dos recursos humanos, materiais e logísticos de cada órgão.

No próximo sábado, dia 20, às 10h, na comunidade do Cantão, em Heliópolis, será realizado um simulado para chuvas de verão, visando à preparação do município para as possíveis ocorrências nesta época.  Atualmente, a Defesa Civil de Belford Roxo conta com74 agentes e 12 técnicos. Os desastres mais comuns no município são alagamentos e incêndios nas matas do Vale do Ipê e na Bayer.

“No simulado, estaremos com nossos agentes e equipamentos preparados para treinar a população em caso de um desastre. Um desse treinamento é informar o ponto de apoio e um local seguro para onde os moradores devem se dirigir”, explicou o responsável pela Divisão de Planejamento da Defesa Civil (Diplan), Roberto Ricardo Moura. Segundo ele, é importante que todas as secretarias e órgãos do governo estejam empenhados para conter um possível desastre na cidade. “Em casos de fortes chuvas, por exemplo, temos que contactar rapidamente os responsáveis pelas Secretarias de Saúde, Obras, Conservação, Assistência Social e Cidadania, entre outras”, frisou.

A Secretaria Executiva de Controle de Vetores e Zoonoses, através do Departamento do Controle de Vetores, por exemplo, estará realizando o controle de roedores, a fim de evitar doenças como leptospirose, típica desta época. A assistente social da Defesa Civil, Melissa Pires e o agente Aguinaldo Soares, entre outros, participaram do encontro.

Redução de Riscos

O Grupo de Ações Coordenadas (GRAC) é previsto no decreto do sistema municipal de redução de riscos. Todas as informações são reunidas para atualizar o Plano de Contingência de Desastres. Documento que o município necessita ter em caso de desastres para a solicitação recursos federais.  Entre essas ações, estão as obras do muro de contenção da Rua José Saboya, no Largo da Baiana, em Nova Aurora, oriundas de uma situação de emergência respaldado por esses documentos, na enxurrada de 2013.

A redução de desastres dá-se por duas maneiras: estruturais (contenção de encostas, por exemplo) e não estruturais (conscientização, plano de contingência) que não dependem de equipamentos ou algo físico.

A semana de Redução de Desastres nos municípios é uma determinação da Lei 12.608. A Lei Federal 12.608 determina, entre as principais competências do município: identificar e mapear as áreas de risco de desastres; promover a fiscalização das áreas de risco de desastre e vedar novas ocupações nessas áreas; e manter a população informada sobre áreas de risco e ocorrência de eventos extremos, bem como sobre protocolos de prevenção e alerta e sobre as ações emergenciais em circunstâncias de desastres.

Centro de Monitoramento e Gerenciamento de Risco

A Defesa Civil de Belford Roxo conta com o Centro de Monitoramento e Gerenciamento de Risco. O município é o único da Baixada Fluminense a ter sua própria Estação Meteorológica, capaz de acompanhar, em tempo real, as condições climáticas da cidade. O órgão monitora a cidade durante 24 horas e conta com cinco agentes. Qualquer situação de risco, a população deve entrar em contato através do telefone de emergência 199. A Defesa Civil de Belford Roxo fica na Avenida Joaquim da Costa Lima 2415, bairro Santa Amélia. Telefone: 2761-7317.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: