Crivella anuncia aluguel social para 280 famílias que vivem em condições insalubres no Condomínio Jambalaia

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, levou hoje boas notícias aos moradores do Condomínio Jambalaia, em Campo Grande, Zona Oeste da cidade, onde vivem centenas de pessoas em condições precárias e insalubres, ocupando seis prédios que apresentam rachaduras e risco de desabamento. Nesta terça-feira, 10 de julho, o aluguel social começou a ser pago às 280 famílias cadastradas pela Prefeitura, para que possam se transferir para outro lugar. Os prédios serão preparados para demolição. No terreno, serão construídas moradias do programa Minha Casa Minha Vida, para onde irão os moradores cadastrados pela Prefeitura.

– Hoje, o aluguel social está sendo entregue às famílias cadastradas. Vamos fazer a demolição desses imóveis para a construção de um condomínio do Minha Casa Minha Vida. É muito importante frisar que o Jambalaia está em vias de desabamento. Várias partes já caíram. As pessoas estão andando dentro de casa com tábuas sobre buracos no chão; as vigas e colunas estão todas deterioradas; a armadura, o aço de dentro do concreto, está exposta e corroída, de tal maneira que isso pode cair a qualquer momento. Isso já está assim há anos. Chegou a hora de uma intervenção para tirar as pessoas daqui e evitar uma tragédia – afirmou Crivella.

Um decreto de desapropriação, publicado no Diário Oficial de 26 de junho, garante à Prefeitura direito sobre o terreno onde está o Jambalaia para demolição dos seis prédios e construção do empreendimento do Minha Casa Minha Vida.

– É muito importante dizer aos moradores que não vai haver remoção, eles não vão sair daqui para longe. Aqui, as pessoas têm filhos na escola, outras trabalham, outras vendem coisas no comércio. E vão continuar aqui mesmo. Mas em condições próprias, em condições decentes, sem risco iminente de desabamento e sem risco de morte – ressaltou Crivella.

Após começarem a receber o aluguel social, no valor de R$ 400 mensais, os ocupantes do Jambalaia terão até 30 dias para desocupar os imóveis. Construídos por uma empresa privada, os prédios estão abandonados há quase 25 anos e foram ocupados por pessoas em situação de rua.

A ação para favorecer os moradores do Jambalaia e retirá-los da área de risco reúne a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, a Subsecretaria de Habitação e a Defesa Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *