Cristo Redentor é iluminado no Dia do Bombeiro

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) completou 162 anos na segunda-feira (2/7), quando se comemora o Dia Nacional do Bombeiro. Para marcar a data, o Cristo Redentor foi iluminado de vermelho, a cor característica da corporação.

Uma cerimônia religiosa foi celebrada, aos pés do cartão-postal, pelo cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. Autoridades militares e membros da instituição participaram da solenidade.

– Estamos sendo abençoados de braços abertos para darmos prosseguimento às nossas missões do dia a dia.  Sinto orgulho em dizer que somos o primeiro Corpo de Bombeiros do Brasil, uma instituição que, ao longo dos anos, concilia tradição e modernidade em repleta harmonia, sempre com o foco no atendimento de excelência ao cidadão – afirmou o secretário de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Roberto Robadey.

Cronograma de atividades

As comemorações pelo aniversário da corporação começaram no domingo (1/7), com a corrida Soldado do Fogo, que reuniu cerca de 1,2 mil pessoas no Centro do Rio. Hoje, o Quartel Central dos Bombeiros se transformará no palco de uma grande festa, aberta ao público, com apresentação da Banda Sinfônica dos Bombeiros e exibição de simulados de salvamentos variados. Rapel, plano inclinado, escalada da torre, descida invertida, atividades subaquáticas no tanque em chamas, simulação de combate a incêndio e de atendimentos pré-hospitalares com motos e ambulâncias estão na programação, que tem início às 15h.

Grupamento do Méier ganha prêmio

Orgulho é a palavra que define o sentimento do capitão Igor Calixto, um dos bombeiros que participou do salvamento da tragédia na Linha Amarela, em 2014. O militar, que está na corporação desde 2010, trabalhou com afinco junto com seus colegas no acidente ocorrido em uma das mais importantes vias expressas da cidade carioca.

Na ocasião, a passarela de pedestres veio abaixo após um caminhão, que trafegava com a caçamba levantada, chocar-se contra a estrutura de concreto. A dedicação na prestação de socorro às vítimas do acidente rendeu ao seu grupamento, localizado no Méier, na Zona Norte, a primeira colocação no concurso internacional Conrad Dietrich Magirus Award.

– A profissão de Bombeiro Militar é gratificante, porque atuamos em situações de necessidade. O trabalho com o público tem seus desafios, e a atuação quando se salva vidas apresenta desafios maiores.  Isso torna a profissão gratificante. Nenhum incêndio é igual a outro, nenhum salvamento é igual a outro e isso traz responsabilidade. Devemos sempre nos manter atualizados e nos prepararmos fisicamente, tecnicamente e emocionalmente para atender às demandas – explicou o capitão Igor Calixto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *