Com ‘pé na fôrma’, Ronaldinho fala em despedida do Atlético-MG

Foram três títulos com a camisa do Atlético-MG, sendo dois deles internacionais. Gols, dribles, e despedidas. O retorno de Ronaldinho ao Mineirão, na tarde desta terça-feira, parece apenas mais um capítulo de uma história aberta do craque com Belo Horizonte.

Imortalizado no museu do estádio, com presença na calçada da fama, R10 quer voltar desta vez com chuteiras na cidade que, hoje, abriga o seu filho, João, como jogador da base do Cruzeiro.

Foi no Gigante da Pampulha que ele realizou jogo beneficente em dezembro de 2017, dias antes de anunciar oficialmente a aposentadoria, em janeiro de 2018. Agora, a expectativa fica por um jogo de despedida da carreira com a camisa do Galo.

– Existe essa possibilidade. Acredito que não passe desse ano. Vamos aproveitar enquanto dá para correr um pouquinho, para despedir legal. Então, existe essa possibilidade – afirmou R10, que se despediu do Atlético na conquista da Recopa Sul-Americana em 2014, no Mineirão, e também fez a última partida pela Seleção Brasileira no estádio, em 2013, contra o Chile.

Antes de conceder entrevista coletiva, o ex-melhor do mundo cravou suas pegadas em argila, para ser guardada na calçada da fama do Mineirão, ao lado de outros craques. Ainda que o estádio tenha ficado vazio e com iluminação desligada, a estrela do futebol mundial foi cercada por fãs e levou vários convidados ao Museu Brasileiro do Futebol.

Esteve ao lado do irmão, Assis, mas saiu abraçado mesmo com João Mendes, seu filho, que segue os passos da bola no sub-14, curiosamente, do rival do Atlético-MG, o Cruzeiro. Sobre o tema, Ronaldo apenas disse:

– É ótimo ver ele feliz, independente de onde seja. Espero que ele tenha muita alegria aqui, seja muito feliz, para mim o que importa é vê-lo feliz, independente de onde esteja.

Estátua

Ronaldinho volta ao Mineirão para entrar no hall da fama — Foto: Frederico Ribeiro

Alexandre Kalil, então presidente do Atlético-MG na conquista da Libertadores 2013, brincou ao prometer estátua de R10 no clube. Na coletiva, os fatos se inverteram. Foi Ronaldinho que ganhou uma estatueta do atual prefeito de BH. Aos risos, comentou:

– Jamais vou cobrar (o Kalil pela estátua), só agradecer pela confiança que ele teve em mim. Só lembranças maravilhosas. A Libertadores teve um gosto especial, título que faltava para mim.

Exposição

Além da calçada da fama, Ronaldinho também ganhou um quadro inédito na exposição “Fragmentos de um Gaúcho”, a qual apresenta 14 telas do artista Camaleão. A galeria é uma representação da carreira do craque.

Na arte nova, quatro figuras de R10 são apresentadas carregando os troféus da Copa do Mundo 2002 pela Seleção, Ballon D’or pelo Barcelona, Champions League pelo clube catalão e a Libertadores pelo Galo. Esta representação é a única de Ronaldinho pelo Alvinegro.

Exposição "Fragmentos de um Gaúcho" no Mineirão — Foto: Frederico Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: