Com medo de morrer, filho de Flordelis que a incriminou usa carro blindado

Com medo de morrer, filho adotivo da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) que a incriminou em depoimento passou a usar um carro blindado para se proteger. O vereador Wagner de Andrade Pimenta, também conhecido como pastor Misael, começou a usar o veículo nos seus deslocamentos nos últimos dias. Misael rompeu relações com a mãe em junho do ano passado, quando deu depoimento à polícia apontando-a como mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo.Flordelis: ascensão política e os planos de matar o marido - A Crítica de  Campo Grande Mobile

A parlamentar só não foi presa porque tem imunidade parlamentar. Na quarta-feira (9), ela recebeu uma notificação em seu apartamento funcional em Brasília sobre processo na Câmara dos Deputados que pode resultar na cassação.

O vereador é a segunda testemunha a vir a público dizendo ter sido intimidada em meio às investigações. Na madrugada de 4 de setembro, uma mulher ouvida pela Polícia Civil denunciou um ataque a bomba jogada na porta da sua casa. O UOL teve acesso às trocas de mensagens que Flordelis, Misael e Luana Rangel Pimenta, esposa do pastor, trocaram por Whatsapp após o crime. Segundo o casal, os diálogos geraram apreensão agravada nos últimos meses após os depoimentos colhidos pela Polícia Civil. “Tenho medo de sair na rua e ser assassinado por ter prestado depoimento contando o que sei”, disse o vereador.

O primeiro momento em que nos sentimos ameaçados foi quando ela [Flordelis] mandou as mensagens falando que iria nos encontrar. E que isso só não aconteceria se saíssemos do país.” Luana Rangel Pimenta, nora de Flordelis O começo do diálogo ocorreu às 11h20 de 27 de junho de 2019, apenas nove dias após a morte do pastor Anderson. Flordelis usou o celular de Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica presa desde 24 de agosto deste ano por suspeita de envolvimento no crime. “Luana. Aqui é a Flordelis. Tem como você me responder?”, escreveu. Mas quem respondeu a mensagem foi Misael, que a informou sobre a sua saída do Ministério Flordelis. Não vou mais continuar no ministério, sem.

Flordelis, então, enviou 11 mensagens seguidas num intervalo de 30 minutos, respondidas por Luana ao meio-dia. “Só não temos mais condições psicológicas para continuar. Ele vai conversar com a senhora (…). Não exija agora. Vai doer mais”. Foi após essa resposta que surgiram as mensagens vistas como uma ameaça pelo casal. Querem continuar fugindo? Só se viajarem para fora do Brasil. Caso contrário eu vou encontrar Misael junto com os irmãos dele. Não vamos aceitar e nem esperarmos [sic] mais. Chegaaaaa, vocês já foram longe demais. Mensagem de Flordelis para Misael e Luana.

Houve trocas de mensagens em outros dois momentos. Às 14h54 de 12 de julho, Flordelis voltou a insistir em uma reaproximação. Desta vez, em um tom de apelo: “Luana. Me deixa ver e falar com Misael. Por favor. Não continuem agindo assim. Vamos conversar. Temos muitas coisas a falar. Estou te pedindo: me atenda por favor”. Luana informou estar fora do Rio. “Assim que chegarmos, te procuro”. Elas só voltaram a se falar na noite de 11 de setembro de 2019. Desta vez, foi Luana quem a procurou para se explicar. “Não fizemos nada pessoal. Só falamos do que sabíamos. E somente para a polícia.” Em nota, a defesa de Flordelis contestou a versão de Misael e Luana, que dizem terem se sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito