Cedae diz que abastecimento de água no RJ só será normalizado no domingo

O abastecimento de água nas cidades do Rio, Belford Roxo e Nova Iguaçu só será normalizado no próximo domingo (27), segundo a Cedae.

Durante esta sexta-feira (25), a falta d’água afetou mais de 20 bairros da capital, além de cidades da Baixada Fluminense, segundo apuração do RJ2.

O problema de abastecimento teve início por conta de um atraso na manutenção da Cedae no sistema Guandu. O conserto deveria ter terminado na noite desta quinta-feira (24), mas só acabou às 4h de sexta-feira (25).

“Acabei de chegar do trabalho e não tem água ainda. Sem água realmente é muito complicado. Tô cheia de roupa pra lavar”, disse Elisabete da Silva, moradora da Taquara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Segundo outra moradora da região, a falta de água começou por volta das 8h.

“A gente tá se virando como pode. Hoje era dia de faxina e não pude fazer faxina, economizando. Tomando banho com balde. Espero que venha hoje ainda”, contou Eliete Oliveira.

ApresentaçãoBairros do Rio afetados:

  • Vila Isabel;
  • Tijuca;
  • Grajaú;
  • Santa Teresa;
  • Anchieta;
  • Água Santa;
  • Pavuna;
  • Campo Grande;
  • Sepetiba;
  • Ilha do Governador;
  • Santa Cruz;
  • Cascadura;
  • Jacarepaguá;
  • Guaratiba;
  • Cidade de Deus;
  • Senador Camará;
  • Ricardo de Albuquerque;
  • Coelho da Rocha;
  • Cachambi;
  • Higienópolis;
  • Inhaúma;
  • Oswaldo Cruz.

Elevatória com problemas

Durante a manutenção no Guandu, técnicos da Cedae identificaram problemas na Elevatória Lameirão, um conjunto de equipamentos que bombeia água para os municípios do Rio de Janeiro e Nilópolis.

Segundo a companhia, os reparos foram feitos ao longo do dia e isso também afetou o abastecimento de água. Por volta das 19h, a empresa informou que a unidade já estava funcionando com 100% de sua capacidade de operação.

Hospital afetado

O problema de abastecimento afetou até o atendimento no Hospital Pedro Ernesto, em Vila Isabel, Zona Norte, que precisou suspender cirurgias e adiou internações.

Cerca de 400 pessoas estão internadas na unidade e todas as equipes foram orientadas a economizar água, pois não há o suficiente no reservatório do hospital.

Em nota, a Cedae informou que foi montado um esquema para atender hospitais e outros serviços essenciais, com a oferta de carros-pipa durante este período.

A Cedae orienta que as pessoas que tenham cisterna e/ou caixa d’água utilizem a água armazenada somente para tarefas essenciais.

Operação do MP

No começo da manhã, a Cedae chegou a informar à equipe do Bom Dia Rio que parte do atraso teria sido causado por uma operação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), na quinta-feira (24).

Os procuradores foram coletar informações sobre a crise da geosmina, no começo do ano, que provocou alterações do gosto e cor da água fornecida à população.

Em nota, o MP informou que a operação não interferiu em qualquer serviço de manutenção ou reparo. Segundo o Ministério Público, a maior parte do serviço ocorreu na sede da empresa, no Centro do Rio. E que na estação Guandu, as buscas se restringiram ao escritório administrativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito