Carinho e paciência impulsionam talento de Lincoln no Flamengo

A parceria foi de sucesso. O companheiro era fora de série. A comparação muitas vezes cruel. Aos poucos, Lincoln começa a traçar sua própria história no Flamengo desvinculada de Vinícius Júnior. Cria da mesma geração do prodígio do Real Madrid, o atacante viu um processo natural de amadurecimento virar questionamentos que começam a ser respondidos com a camisa rubro-negra.

Com apenas 18 anos, completados em dezembro, o jovem já está em sua terceira temporada como profissional e vê o talento desabrochar após uma série de cuidados do departamento de futebol. O gol marcado contra a Chapecoense coroa um processo de evolução intensificado com a eliminação precoce da seleção brasileira no Sul-Americano Sub-20.

Lincoln no profissional:

  • 16 anos na estreia contra o Corinthians, em 2017
  • 32 jogos
  • 7 como titular
  • 3 gols marcados

De volta do Chile há três meses, Lincoln se reapresentou ao Flamengo não apenas com uma lesão muscular, mas com dúvidas sobre seu comprometimento e forma física. No lugar das cobranças ríspidas, recebeu carinho. O vice-presidente de futebol, Marcos Braz, conversou diretamente com o jovem e aconselhou uma mudança de postura para que não fosse mais uma joia a ficar pelo caminho.

A ausência na lista de inscritos na Libertadores assustou – apesar da lesão – e, paralelamente ao tratamento do estiramento na coxa, Lincoln intensificou o foco na preparação física e na alimentação. A trinca de dirigentes que comanda o futebol – Marcos Braz, Carlos Noval e Paulo Pelaipe – marcou em cima e o atacante deu a resposta.

Um mês antes do encerramento da primeira fase da principal competição do continente, já estava recuperado, mas teve que se contentar em esperar uma vaga nas oitavas de final como torcedor. Com a classificação, será uma das cinco trocas na lista de inscritos para o mata-mata. Reconhecimento ao talento e dedicação:

– Espero que ele tenha uma evolução melhor. A verdade é que está tendo uma postura profissional muito boa, está se dedicando. Tudo dele foi 100%. Com certeza será inscrito na próxima fase da Libertadores. É um jogador que contamos – disse Abel.

A partida contra a Chapecoense foi a quinta na temporada, segunda como titular. Já contra o São Paulo, Lincoln tinha demonstrado não somente a qualidade que chama a atenção desde a base, mas também maturidade. Fez boas jogadas de pivô e soube ser o desafogo do time quando pressionado, muitas vezes disputando em inferioridade numérica com os zagueiros adversários.

O gol típico de centroavante após cruzamento de Ronaldo – parecido com os outros dois que marcou como profissional – foi o ponto alto de uma manhã onde o atacante participou bem a vitória sobre os catarinenses. Lincoln sofreu o pênalti desperdiçado por Diego, tentou jogadas fora da área – como bonito passe de cobertura para Berrío – e deu opção a todo momento para quem ia até a linha de fundo. Um centroavante nato.

– Vinha trabalhando muito bem, buscando meu espaço. Fui feliz fazendo gol. Estava há muito tempo sem marcar. É muito importante. Meu primeiro na temporada, procuro trabalhar bastante para fazer muitos outros esse ano.

Sem a sombra de Vinícius Júnior, Lincoln começa a ter vida própria no Flamengo. Já são 32 jogos e três gols como profissional. Na briga com Uribe, lesionado, começa a ganhar espaço e já deixou claro que pode ser útil. Com a volta dos titulares, ficará no banco de reservas quarta-feira, diante do Corinthians, às 21h30 (de Brasília), em Itaquera, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: