Câmara de Japeri aumenta salários de vereadores e servidores em meio à pandemia de coronavírus

Câmara Municipal de Japeri, na Baixada Fluminense — Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Japeri, na Baixada Fluminense, aprovou aumento de 25% dos salários dos servidores efetivos e comissionados da Casa em meio à pandemia do novo coronavírus. A medida entra em vigor a partir de abril, após publicação no Diário Oficial do município na terça-feira (24). O salário atual de um vereador é de R$ 10,5 mil e, com a mudança, passa para R$ 13,12 mil.

Devido ao isolamento para tentar conter a disseminação rápida da doença, a situação financeira de municípios, estados e da União tem causado preocupação. Nesta quinta (26), o governador do Rio chegou a pedir ajuda financeira ao governo federal para evitar um colapso financeiro do estado.

Em mensagens enviadas à TV Globo, servidores da Educação de Japeri se indignaram com o aumento já que a categoria busca, desde 2008, pelo plano de cargos e salários. Atualmente, o pagamento bruto de um professor é de R$ 2,4 mil.

O presidente da Câmara Municipal, Márcio Manequinha, alegou que a ação é uma recomposição da perda pelos índices da inflação acumulados desde 2015, ou seja, que desde o ano citado, os servidores não receberam reajustes a título de recomposição.

Além disso, o parlamentar afirmou que a medida, prevista na Lei, foi planejada no início de janeiro deste ano, antes da declaração de pandemia do novo coronavírus.

Japeri possui um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano da Região Metropolitana, e um dos maiores em casos de homicídios dolosos, contabilizando 58 crimes a cada 100 mil habitantes.

Essa mesma cidade completou, em junho de 2019, 28 anos de emancipação com três dias de festa e um cachê de R$ 250 mil para show da cantora Ludmilla.

‘Caos financeiro’

O governador do RJ, Wilson Witzel, afirmou nesta quinta-feira (26) que o estado pode entrar em um ‘caos financeiro’ caso o governo federal não apresente recursos para a retomada da economia no Rio de Janeiro até a segunda-feira (30).

Segundo Witzel, as medidas protetivas contra o coronavírus no estado do RJ podem ser reavaliadas caso a ajuda não chegue.

“Não podemos pedir para autônomos e pequenos empresários ficarem paralisados se não houver uma sinalização imediata do ministro [da Economia] Paulo Guedes que ele vai colocar pelo menos R$ 500 bilhões na economia — que é a cifra que nós mais ou menos imaginamos que deve ser colocada na economia”, detalhou.

Segundo Witzel, o estado tem hoje um déficit de R$ 10 bilhões que surgiu em decorrência não só por conta da queda da arrecadação para preservar vidas no combate ao coronavírus, mas também da queda do barril do petróleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito