Brasil tem 1.388 casos de sarampo em 2019; 95% deles estão em São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Paraná

Resultado de imagem para vacina sarampo

Desde a primeira semana de 2019, o Brasil registrou 1.388 casos confirmados de sarampo, sendo que 1.322 deles (95,2%) ocorreram no Rio de Janeiro, em São Paulo, na Bahia e no Paraná, que apresentam surto da doença. O restante, 66 infecções (4,8%), ocorreram nos outros estados do Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde e foram divulgados nesta quarta-feira (14).

Cada estado tem uma campanha em curso. São Paulo quer vacinar 4,4 milhões de jovens de 15 a 29 anos. Até 8 de agosto, apenas 1,2 milhão de pessoas dessa faixa etária estavam protegidas – o número representa 27% da meta.

A vacina não é restrita ao público jovem – eles são o foco para garantir uma barreira de proteção contra o vírus enquanto há o surto. Veja abaixo quem pode/deve e quem não pode/deve receber uma dose contra o sarampo:

  • Bebês com menos de 6 meses: contraindicada a vacina em quaisquer circunstâncias.
  • Bebês de 6 meses a 1 ano de idade: podem tomar a vacina, dependendo da orientação. Alguns municípios do estado de São Paulo, Rio de Janeiro e a cidade de Salvador estão recomendando. Para informações, consulte o site.
  • Crianças de 12 meses: deve ser dada uma dose.
  • Crianças de 15 meses: devem receber a segunda dose.
  • Crianças e Adolescentes que só tomaram uma dose: devem receber a segunda dose.
  • Adolescentes e adultos jovens, de 15 a 29 anos, no Município de São Paulo: devem receber mais uma dose, independentemente do número de doses anteriores.
  • Pessoas até 29 anos de idade, em geral: devem ter 2 doses na vida, com intervalo de 1 mês entre elas.
  • Pessoas entre 30 e 50 anos de idade: devem fazer 1 dose se não souberem seu estado vacinal. Idealmente devem ter duas doses feitas na vida.
  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade: não precisa ser vacinado. Mas não há limite de idade para receber a vacina. Idosos podem receber a vacina.

Situações especiais

  • Gestantes: contraindicada a vacina.
  • Mães que estão amamentando: podem tomar a vacina, mesmo no primeiro dia pós-parto.
  • Mulheres que querem engravidar: depois da vacina, idealmente deve-se esperar 30 dias para engravidar. Se tomou a vacina e não sabia que estava grávida, converse com seu médico.
  • Imunossuprimidos: contraindicada a vacina
  • Alergia a ovo: pode tomar a vacina se a alergia não for grave. Alergia GRAVE ao ovo: converse com seu médico.
  • Tomou a vacina da febre amarela há menos de 30 dias: aguarde pelo menos 1 mês para receber a vacina do sarampo
  • Alguém muito próximo de você teve sarampo e foi indicada vacina de bloqueio pela Vigilância Epidemiológica: tome a vacina independentemente de quaisquer doses de vacina anteriores. Mesmo se você tomou a vacina da febre amarela há menos de 30 dias, deve receber o bloqueio do sarampo.
  • Quem já teve sarampo: não precisa se vacinar.

Desde a primeira semana de 2019, o Brasil registrou 1.388 casos confirmados de sarampo, sendo que 1.322 deles (95,2%) ocorreram no Rio de Janeiro, em São Paulo, na Bahia e no Paraná, que apresentam surto da doença. O restante, 66 infecções (4,8%), ocorreram nos outros estados do Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde e foram divulgados nesta quarta-feira (14).

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa causada por um vírus do gênero Morbillivirus, da família Paramyxoviridae. A transmissão pode ocorrer por meio da fala, tosse e/ou espirro. O quadro de infecção pode ser grave, com complicações principalmente em crianças desnutridas ou com sistema imunológico debilitado.

As últimas onze semanas epidemiológicas (20 a 31) apresentaram uma disparada no número de casos confirmados, intensificada pelo estado de São Paulo. Durante este período, 1.226 novos pacientes com a doença foram recebidos pelas unidades de saúde, sendo que 1.220 eram infecções ocorridas em território paulista.

Como é possível ver no gráfico acima, 99,5% dos novos casos que ocorreram desde o início de maio no Brasil estão em São Paulo. Apenas na última semana, o estado teve uma alta de 36% no número de infecções. Os dados da Secretaria Estadual da Saúde paulista apontam que a capital tem 75,5% desses pacientes.

Vacina do sarampo

Há uma campanha de vacinação nos estados brasileiros com surto, com doses disponíveis nas unidades do Sistema Único de Saúde. A população com idade entre 20 e 29 anos é a mais afetada até agora e, por isso, tem prioridade na imunização.

Nenhum dos estados com maior número de casos atingiu a cobertura vacinal de 95% da tríplice viral. A vacina garante a imunização contra sarampo, caxumba e rubéola em crianças de um ano de idade. Rio de Janeiro tem o menor índice, com 51,23% do grupo infantil protegido; depois, temos Bahia, com 61,69%; São Paulo, com 74,65%; e Paraná, com 89,53%.

Cada estado tem uma campanha em curso. São Paulo quer vacinar 4,4 milhões de jovens de 15 a 29 anos. Até 8 de agosto, apenas 1,2 milhão de pessoas dessa faixa etária estavam protegidas – o número representa 27% da meta.

A vacina não é restrita ao público jovem – eles são o foco para garantir uma barreira de proteção contra o vírus enquanto há o surto. Veja abaixo quem pode/deve e quem não pode/deve receber uma dose contra o sarampo:

  • Bebês com menos de 6 meses: contraindicada a vacina em quaisquer circunstâncias.
  • Bebês de 6 meses a 1 ano de idade: podem tomar a vacina, dependendo da orientação. Alguns municípios do estado de São Paulo, Rio de Janeiro e a cidade de Salvador estão recomendando. Para informações, consulte o site.
  • Crianças de 12 meses: deve ser dada uma dose.
  • Crianças de 15 meses: devem receber a segunda dose.
  • Crianças e Adolescentes que só tomaram uma dose: devem receber a segunda dose.
  • Adolescentes e adultos jovens, de 15 a 29 anos, no Município de São Paulo: devem receber mais uma dose, independentemente do número de doses anteriores.
  • Pessoas até 29 anos de idade, em geral: devem ter 2 doses na vida, com intervalo de 1 mês entre elas.
  • Pessoas entre 30 e 50 anos de idade: devem fazer 1 dose se não souberem seu estado vacinal. Idealmente devem ter duas doses feitas na vida.
  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade: não precisa ser vacinado. Mas não há limite de idade para receber a vacina. Idosos podem receber a vacina.

Situações especiais

  • Gestantes: contraindicada a vacina.
  • Mães que estão amamentando: podem tomar a vacina, mesmo no primeiro dia pós-parto.
  • Mulheres que querem engravidar: depois da vacina, idealmente deve-se esperar 30 dias para engravidar. Se tomou a vacina e não sabia que estava grávida, converse com seu médico.
  • Imunossuprimidos: contraindicada a vacina
  • Alergia a ovo: pode tomar a vacina se a alergia não for grave. Alergia GRAVE ao ovo: converse com seu médico.
  • Tomou a vacina da febre amarela há menos de 30 dias: aguarde pelo menos 1 mês para receber a vacina do sarampo
  • Alguém muito próximo de você teve sarampo e foi indicada vacina de bloqueio pela Vigilância Epidemiológica: tome a vacina independentemente de quaisquer doses de vacina anteriores. Mesmo se você tomou a vacina da febre amarela há menos de 30 dias, deve receber o bloqueio do sarampo.
  • Quem já teve sarampo: não precisa se vacinar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito
%d blogueiros gostam disto: