Belford Roxo promove primeira Feira de Experiências Populares em Saúde

“A Saúde também depende de nós”. Essa foi a frase tema da Feira de Experiências Populares em Saúde, realizada no bairro Farrula, em Belford Roxo. A iniciativa é resultado do Curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde, uma parceria da Prefeitura, através das Secretaria de Saúde e de Vigilância Sanitária, com o Ministério de Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), onde educadores buscam qualificar ainda mais o trabalho dos agentes de saúde e de vigilância no município, discutir sobre as práticas educativas e escutar a população para transformações sociais.

A população que passou pela feira teve acesso a tendas educativas, rodas de conversas, práticas de cuidado, espaços de sensibilização, tenda misteriosa, horta, tenda de receitas populares, tenda EdPopSus (Programa de Qualificação em Educação Popular em Saúde) que abordou o objetivo do curso e recolhia opiniões das pessoas que passavam por lá e a peça teatral “Os caça mosquitos”. Além disso, a equipe de enfermagem do município esteve aferindo a pressão arterial da população presente.

O evento contou também com a parceria das Secretarias de Mobilidade Urbana, de Segurança Pública e de Defesa Civil e Ordem Urbana. O secretário de Vigilância Sanitária, Gilson de Souza, se emocionou durante a breve homenagem realizada pela turma para os educadores e o secretário. “Só temos que agradecer ao prefeito Waguinho e ao secretário de Saúde, Vander Louzada, que abriram as portas para que, através desta parceria, o curso fosse possível. Se tivermos outras oportunidades para oferecemos outros cursos, minha resposta já é sim!”, enfatizou Gilson.

“O curso é nota 1.000!”

Segundos os educadores da Fiocruz, César Augusto Paro e Doriléia de Carvalho Pereira, o curso de aperfeiçoamento teve como sua última aula a feira com amostras do que os alunos aprenderam durante os quatro meses de aula. “Essa foi a primeira edição do curso em Belford Roxo e nós só temos o que elogiar. O SUS precisa de profissionais dedicados como vocês. E nesse último dia de curso, estamos realizando uma feira de experiências populares que vem trazer o que debatemos em todas as aulas para a população”, explicaram os educadores.

“O curso é nota 1.000! Lá aprendemos e descobrimos novas maneiras de sermos úteis como profissionais e moradores”. A frase é da agente comunitária, Selma Cristina, atuante na área há 15 anos, que participou do curso e esteve responsável pelo stand de receitas populares. “Nesta tenda o nosso objetivo é saber da população qual é a sua receita popular. Anotamos e deixamos exposta aqui mesmo. Além disso, temos amostras de plantas que ajudam no resfriado, gripe, dor, enjoo, outras que servem como calmantes e ensinamos também as pessoas a fazerem seu repelente caseiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *