Análise: volta de Honda faz Botafogo evoluir, mas falta de velocidade ainda é um problema

Para voltar a vencer depois de 10 rodadas, o Botafogo mostrou uma eficiência que não se via há tempos e contou com um reforço que mudou a organização do time no meio de campo: a volta de Keisuke Honda. Recuperado de lesão, o japonês comandou os 2 a 1 sobre o Palmeiras junto do centroavante Pedro Raul.

O camisa 4 voltou depois de duas semanas no departamento médico em um novo esquema tático: o time abandonou os três zagueiros e colocou mais jogadores no meio de campo. Junto de Rafael Forster e Caio Alexandre, Honda teve mais liberdade para criar e menos obrigações defensivas.

No lado direito do meio de campo, o meia participou menos do jogo sem a bola e se poupou para organizar o time. A estratégia deu certo, principalmente no primeiro tempo, quando o Bota foi melhor e teve chances de abrir o placar.

Botafogo x Palmeiras Nilton Santos — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Botafogo x Palmeiras Nilton Santos

Apesar do domínio, os gols só saíram no segundo tempo, com o brilho do outro protagonista da vitória: Pedro Raul. O centroavante abriu o placar após cruzamento de Kevin e, depois, deu o passe para Caio Alexandre aumentar o marcador. Além dessas jogadas, o camisa 9 deu trabalho à defesa do Palmeiras, ajudou a segurar a bola e fez bem o trabalho de pivô.

Honda, Pedro Raul, Caio Alexandre e Cavalieri foram bem. Marcelo Benevenuto, Rafael Forster e Rhuan deixaram a desejar.
Pedro e Caio marcaram os gols do jogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Pedro e Caio marcaram os gols do jogo

Sustos no segundo tempo

O fim do jejum tranquilizou os ânimos internamente e alegrou a torcida, mas alguns problemas que causaram a sequência negativa continuam presentes. Principalmente a falta de opções de velocidade. Contra o Palmeiras, o time voltou a apostar na dupla de centroavantes com Rhuan para completar o ataque. O time se impôs no meio de campo, mas teve dificuldades para criar chances claras.

A situação piorou no segundo tempo, quando o resultado só foi garantido após Diego Cavalieri defender um pênalti. Das substituições no segundo tempo, apenas Guilherme Santos tinha força para contra-atacar, mas ficou preso na marcação no meio de campo. O Botafogo recuou demais e não apresentou alternativas para agredir o Palmeiras com ataques rápidos.

Mais aliviado pelo reencontro com a vitória e a saída provisória da zona de rebaixamento, o elenco alvinegro se reapresenta nesta quinta-feira, no Nilton Santos. O próximo compromisso é o duelo com o Sport, fora de casa, pela 15ª rodada do Brasileirão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito