Análise: Botafogo volta aos velhos problemas de criação e tem pior partida com Lazaroni

Na noite da última quarta-feira a torcida do Botafogo pôde ter a noção de como é voltar no tempo. Isso porque o time que perdeu por 3 a 1 para o Grêmio fez lembrar os piores jogos que o time fez quando Paulo Autuori era o técnico.

Apenas com volantes no meio de campo na formação inicial (por lesão, jogador poupado ou sem ritmo de jogo) e Babi mais aberto pela direita, o Botafogo parecia perdido. Por mais que tenha começado marcando em cima – que fez lembrar até o gol marcado por Honda diante do Sport – a equipe passou a ceder os espaços para o Grêmio no campo de defesa e a fechar os espaços somente da intermediária para trás.

Botafogo teve a pior atuação sob o comando de Bruno Lazaroni — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Bem compactada, a ideia era conseguir aproveitar uma brecha na troca de passes do Grêmio. Mas sem dar o bote no campo de defesa e na falta de um jogador de velocidade para puxar os contra-ataques, o Botafogo era presa fácil. O primeiro gol do Grêmio saiu nessa impossibilidade de sair jogando. Conforme disse Sandro Meira Ricci, o gol foi irregular, mas ainda assim a defesa deixou muito espaço para Robinho cruzar de dentro da área, Alisson escorar de cabeça e Diego Souza marcar de dentro da pequena área.

Sem criatividade, pouco ameaçador e amplamente dominado, o time de Bruno Lazaroni não passou nem perto de ser a mesma equipe que venceu Palmeiras e Sport e até gerava uma expectativa de tempos mais tranquilos. Essa esperança até que apareceu na última quarta, quando Matheus Babi achou o gol que saiu da única forma que o Botafogo poderia criar alguma chance na noite: pela bola aérea.

Gol de Matheus Babi saiu em uma das poucas chances reais do Botafogo — Foto: PEDRO H. TESCH/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Na intenção de tornar o time um pouco mais agressivo e diferente do que deixou o primeiro tempo, Bruno Lazaroni colocou Honda. O japonês, que até então tinha perdido apenas uma partida com a camisa do Botafogo, poderia ser o homem certo para melhorar a criatividade e dar mais oportunidades ao time. Só que dois minutos depois de a bola voltar a rolar para a etapa final o Grêmio voltava à frente do placar.

O banho de água fria veio com o terceiro gol. Após a expulsão de Diego Souza, o Botafogo esperou que pudesse haver alguma reação, que só veio do lado tricolor. O golaço marcado por Pepê para fechar o placar acabou de vez com o ânimo da equipe e preocupou o torcedor – que precocemente começa a pedir o cargo do treinador.

Honda começo no banco do Botafogo na derrota para o Grêmio e não conseguiu evitar o resultado — Foto: Vitor Silva/Botafogo

Bruno Lazaroni terá quatro dias para preparar o time do Botafogo para o próximo jogo. A partida contra o Goiás, segunda-feira, às 20h (de Brasília) no Nilton Santos, pela 17ª rodada, será a quinta do técnico à frente do time, ainda com a mesma missão destinada a Paulo Autuori: tirar o time de perto da zona de rebaixamento. O Bota ocupa a 15ª colocação, com 18 pontos, a três do Z-4.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TV Prefeito